Perfil dos Participantes #POTEDOSBRILHOS

O perfil dos participantes foi estabelecido pelos responsáveis do plano de formação, em estreita colaboração com o Diretor e o Gabinete de Projetos Europeus, e estão de acordo com as características estabelecidas nos critérios de seleção, dos quais se destacam:

i) Motivações pessoais de aprendizagem;

ii) Grande disponibilidade para a aprendizagem em rede;

iii) Facilidade de mobilidade pessoal;

iv) Motivação para as temáticas e os objetivos estipulados no PDE;

v) Disponibilidade para a preparação da mobilidade de formação, para a sua realização e posterior disseminação juntos de outros professores do Agrupamento;

vi) Facilidade de comunicação;

vii) Identificação com o Projeto Educativo e com este projeto.

A escolha destes participantes não foi aleatória, pois para além dos critérios estabelecidos, na seleção, foi importante, identificar, dentro dos interessados, os que tinham cargos de maior relevância no Agrupamento, sendo que na sua maioria necessitam de formação específica para melhor desempenharem as suas funções e concretizar os objetivos a que nos propomos alcançar neste projeto, colmatando assim os problemas identificados nas áreas em que apresentamos fragilidades. Tencionamos garantir um impacto significativo da formação em todo o Agrupamento, por forma a dar resposta às exigências do currículo e do Perfil dos Alunos para o Séc. XXI. As mobilidades a realizar proporcionarão uma estratégia de internacionalização fundamental para gerenciar atividades que promovam a partilha de práticas pedagógicas inovadoras. No total foram selecionados 18 participantes, estando representadas várias áreas disciplinares de todos os ciclos.

Entre estes participantes temos:

1 – 2 elementos da Direção, que necessitam de alargar a sua visão do sistema escolar a partir da visita a escola(s) de referência na educação, e da observação dos seus ambientes de ensino e aprendizagem. Com a frequência num curso desta área, estes elementos, irão obter informações sobre plano de qualidade, inclusão, abordagens didáticas, educação especial e integração das TIC nos sistemas escolares, que irá permitir desenvolver as competências em métodos e ferramentas inovadoras, novas competências de trabalho de equipa e gestão do tempo, políticas e práticas organizacionais, sendo que estas serão de extrema importância para a concretização do objetivo “Gestão para o sucesso educativo”. Era fundamental que os outros participantes fossem pessoas que tivessem o maior impacto possível na hora de disseminar as competências adquiridas. Para além de docentes das mais diversas áreas do saber, também deveriam desempenhar cargos de lideranças intermédias, como é o caso do coordenador/ subcoordenadores dos RIC que necessitam de adquirir conhecimentos em metodologias e ferramentas de ensino inovadoras, para que possam construir cenários de aprendizagem, recorrendo a outras abordagens inovadoras e estratégias Criativas de Ensino diferentes do habitual.

2 – Assim, o coordenador e subcoordenadores do Projeto de Inovação Pedagógica, pelas funções de coordenação que exercem no mesmo e pela necessidade de adquirir conhecimentos na área da gestão do sucesso educativo, também, estão dentro dos leitos;

3– A coordenadora dos Diretores de Turma, por ser a pessoa que mais facilmente poderá trabalhar com os diretores de turma, garantindo assim uma disseminação mais eficaz. 4– Alguns dos professores escolhidos também desempenham outros cargos como Diretores de Turma, Equipa multidisciplinar de Educação Inclusiva, Provedora do Aluno, e Observatório da Qualidade (órgão de monitorização e avaliação interna). Todos eles apresentam necessidades específicas no que concerne à aquisição de metodologias de ensino inovadoras e centradas no aluno, tais como:

i) Novas formas de aprender, desenvolvendo a criatividade, a motivação e a curiosidade;

ii) Estimular as motivação dos alunos com Estratégias Criativas de Ensino; Pensamento Positivo, Comunicação Positiva e Espaços Escolares Positivos;

iii) Ensino do Século XXI – Educação Baseada na Competência, Soft-skills e Criatividade; flipped classroom, project based learning, problem based learning, case-based instruction, discovery learning.

Prevê-se que todas estas metodologias venham dar resposta às fragilidades que necessitam ser corrigidas, indo ao encontro dos nossos objetivos: Sucesso Escolar e melhoria qualitativa das aprendizagens e concretização do currículo.

5 – Por fim, 1 psicólogo, coordenador do projeto Ecossistemas de Aprendizagem e de Bem-Estar, que irá adquirir competências ligadas ao bem-estar na Educação, sendo a ponte que falta para caminhar contra o insucesso escolar. As aquisições de competências específicas pelos participantes neste projeto não irão centrar-se nas pessoas individualmente, pois todos eles se comprometeram a disseminar o adquirido, numa lógica de partilha e de expansão do projeto de rede europeia.

Artigo publicado por

PArtilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.